Blog de viagens escrito por Luísa e Marcelo Colombo. Roteiros de viagem, planejamento e notícias para inspirar e facilitar a viagem dos seus sonhos. 

Caso tenha dúvidas sobre como viajar, queira trabalhar em conjunto, ou simplesmente para dar um Olá, nos mande um e-mail. 

     

faleconosco@dizquefuiporai.com

Conheça o maravilhoso Salar de Uyuni na Bolívia

24 Jul 2017

Logo que resolvi deixar a mesmice de lado e sai por aí coloquei a Bolívia na minha lista de prioridades para viajar pelo seu principal atrativo: O Salar de Uyuni e a famosa excursão de 3 dias e 2 noites. Via as fotos e relatos dos viajantes sobre essa aventura e ficava cada vez mais encantado. 

 

Decidido que aquele seria meu próximo destino, comecei a ficar de olho nos preços das passagens para lá. Até que um dia a sorte sorriu para mim e consegui comprar um bilhete para Santa Cruz de La Sierra por algo em torno de R$500 na Gol já com todas as taxas em pleno Carnaval! Incrível, né? Essa foi só a primeira de muitas barganhas aéreas que consegui até hoje! 

 

 

Os trechos pela Gol seriam Rio de Janeiro > São Paulo > Campo Grande > Santa Cruz de la Sierra e de Santa Cruz teria que chegar a Uyuni. De Santa Cruz, optei por ir a Sucre de avião (não tinha tempo de ir de ônibus, são 18 horas!), de lá até Potosí de carro e depois a Uyuni de ônibus. Os voos pela Gol foram todos muito tranquilos e em mais ou menos 4h30 e por volta da meia noite do sábado de carnaval já estava na Bolívia. Aqui começou a aventura, pois só haveria voos para Sucre na manhã do domingo e o jeito era dormir no aeroporto mesmo... Vida de mochileiro duro não é fácil, né?

 

Eram umas 4 da manhã quando o guichê da TAM Bolívia (Não é a nossa TAM... é a Transportes Aéreo Militar) abriu e comprei a passagem. Muito retrô comprar uma passagem direto no aeroporto nos dias de hoje, né? O preço foi bem razoável, algo em torno de 80 reais na época! O voo até Sucre foi sem sustos apesar do avião não ser lá essas coisas, dá uma olhada só:

Chegando em Sucre o primeiro impacto: Altitude! Sucre fica a mais de 3 mil metros de altitude, mas não se preocupe, pois a cidade vai te lembrar isso! Na hora de pegar a mala, correr para um ônibus, etc... Do aeroporto peguei um carro (mais ou menos 2h) que me levou até a rodoviária de Potosí para pegar o ônibus até Uyuni. Tudo tranquilo até lá, com direito a uma corridinha para pegar o ônibus para Uyuni. Essa parte foi a mais bizarra: A estrada era péssima, o ônibus idem e o cheiro dentro nem se fala, foram 6 horas nesse ritmo, mas era tudo alegria, afinal, o Salar de Uyuni e as belezas do deserto boliviano estavam me esperando.

 

Após 24 horas da saída do Rio, cheguei em Uyuni hiper mega cansado, mas ansioso para começar a explorar os desertos. Me hospedei perto da estação de trem para no dia seguinte caçar a agência do passeio de 3 dias e 2 noites, mas na verdade já tinha a agência em mente, a Tito Tours, que tinha boas recomendações pelos mochileiros de plantão.

 

No dia seguinte fui até a Tito Tours bem cedinho e fechei o passeio para aquele dia mesmo. O passeio de 3 dias e 2 noites custou em torno de 120 dólares na época, creio que os preços hoje estejam na casa dos 150-200.

 

O deserto boliviano é de tirar o fôlego e cada dia é diferente na excursão de 3 dias. O Salar de Uyuni é definitivamente o grande destaque, mas há muitas coisas para ver e fazer na excursão, com outros cenários tão lindos quanto, o que de uma certa forma foi surpreendente! 

 

Vamos ao passeio?

Os grupos para a excursão são formados de 6 pessoas, no meu grupo estavam duas brasileiras (a Isabelle e a Fernanda que fizeram o caminho comigo desde São Paulo), mais dois argentinos e uma russa, além do motorista e seu navegador/ajudante. O carro era uma Land Rover surradinha, mas confortável.

 

DIA 1: O passeio começou às 10 da manhã a partir de Uyuni. Formos direto para o Salar, com uma paradinha em umas lojinhas de artesanato local, mas não demorou muito e alcançamos o Salar. Lindo e indescritível, e mesmo lotado de turistas por todos os lados, você consegue sentir uma paz única naquela imensidão salgada. Em fevereiro é a época de chuvas no Salar e tudo fica ainda mais incrível, pois uma fina camada de água fica sob a superfície e isso acaba por criar um espelho do céu, no meio daquela paisagem sem fim.  Ficamos uma boa parte do dia por lá, almoçamos e tiramos muitas fotos (deixe sua criatividade rolar pelo infinito horizonte que o Salar cria). Partindo de lá, já mais para o final do dia, fomos visitar o antigo cemitério de trens, antes de rumar pelo deserto boliviano para nossa primeira noite. Chegamos ao hostel bem tarde e bem cansados também... pelo caminho vimos um por do sol incrível... :)

 

Aqui a galeria de fotos do primeiro dia, passa o dedo para o lado para ver mais!

 

DIA 2: O segundo dia começa bem cedo, logo às 6 da manhã somos acordados para o café da manhã antes de começarmos a dirigir para o sul. 

 

 A maior parte do segundo dia passa em pontos de vista montanhosos e lagoas de elevação elevada. Todos são incríveis. Nós também podemos ver flamingos, Vacuñas e Llamas ao longo do dia. Depois de almoçar com vista para uma luguna incrível e bastante remota, exploramos o deserto de Siloli e paramos na "Árvore da Vida" antes de partir para o parque nacional durante a noite. Ao entrar na Reserva Nacional da Fauna Andina Eduardo Avaroa, paramos na Laguna Colorada para contemplar o lindo lago rosa. Nessa hora o frio pegou e veio acompanhado de muuuito vento. O hostel onde dormimos essa noite ficava ao pé de uma montanha e só havia energia elétrica até às 21h. O que também foi bom, pois o dia seguinte começaria às 4:30 da manhã.

 

Aqui a galeria de fotos do segundo dia, passa o dedo para o lado para ver mais!

 

 

DIA 3: Era um dia longo, veríamos os Geyser, laguna verde, deserto de Salvador Dalí e ainda rumaríamos de volta para Uyuni. Esse era o dia onde a altitude mais apertaria, pois passaríamos dos 4 mil metros para ver o geyser Sol de Mañana. Confesso que vi pouco do Geyser, pois o frio às 5 da manhã era intenso, ventava e ainda estava bem escuro, de certo foi uma pequena decepção nesse passeio, mas que seria compensada ao longo do dia. 

 

Continuando a próxima parada era um banho nas fontes termais. Confesso que não tive coragem, mas muita gente foi se banhar, muita mesmo! Passamos a próxima hora ou mais, dirigindo pelo deserto de Dali e Laguna Verde. Como o nome sugere, Laguna Verde é o lago verde e para mim foi o mais impressionante de toda a experiência pelo deserto boliviano.

 

 

A viagem termina na fronteira da Bolívia e do Chile, onde alguns viajantes continuarão em frente à fronteira. Os argentinos foram para o Chile e nós voltamos para Uyuni, pois ainda naquela noite pegaríamos um ônibus para La Paz, onde meu objetivo era subir o Monte Chacaltaya e o relato de lá ta aqui.

 

O deserto da Bolívia e a paisagem única revelaram-se uma experiência fenomenal, superou em muito minhas expectativas. E se eu pudesse fazê-lo novamente, eu faria. Salar de Uyuni. Um sonho.

 

Dicas práticas

 

 

Quando ir

Fui exatamente na época não recomendada, em fevereiro, mas achei o visual mais impressionante ainda com a fina lâmina de água sob o Salar. A melhor época, no entanto, segundo muitos viajantes é entre maio e setembro.

 

O que levar

Filtro solar e óculos de sol

Roupas de frio para as noites geladas, uma segunda pele para dormir e um bom casaco corta vento

Para o dia pense em roupas leves, tipo dry fit para ficar sob o casaco, pois por mais que o passeio seja dentro do carro a maior parte do tempo, você acaba se movimentando bastante

Se quiser aproveitar os géiseres, leve roupa de banho

Remédio para o mal da altura ou folha de chá de coca - pessoalmente não senti os efeitos do mal da altura, só um leve cansaço para atividades simples, mas tem muita gente que enjoa e passa mal sério, então leve com você para ficar tranquilo. Acho que o grande truque aqui é não ficar pensando muito nisso, quanto mais você esquece melhor fica!

Água! Apesar de estar tudo incluído no pacote - leve suas próprias garrafas! 

Máquina fotográfica com baterias extras - lembre-se que não haverão muitos lugares para você carregar seus gadgets pelo caminho

 

Excursão

Fiz a de 3 dias e 2 noites pela Tito Tours e tudo correu como planejado e combinado - não tivemos maiores percalços aqui. Muita gente comenta de motoristas meio loucos, carro quebrando, etc, mas com eles foi tudo certo.

Transportes

Hoje existe um voo de Santa Cruz direto para Uyuni e essa pode ser a melhor opção. Veja pela cias Amaszonas, Tam Bolívia e a BOA. Se esse voo não couber no seu orçamento, tente ir pelo menos até Sucre de avião. Você economizará cerca de 18 horas em estradas ruins. Vale a pena.

 

Combinações de roteiro

Do Salar você pode ir para o Atacama e continuar a viagem por lá ou descer para La Paz (o que eu fiz) e seguir para o Peru rumo a Copacabana, Puno, Machu Picchu e por aí vai. Sem dúvida vale matar Chile e Peru em um mochilão só.

 

É isso! Convencido a ir para o Salar de Uyuni? Já foi? Conta aqui pra gente!

 

 

Please reload

+Histórias
Please reload

Nossas Categorias