Blog de viagens escrito por Luísa e Marcelo Colombo. Roteiros de viagem, planejamento e notícias para inspirar e facilitar a viagem dos seus sonhos. 

Caso tenha dúvidas sobre como viajar, queira trabalhar em conjunto, ou simplesmente para dar um Olá, nos mande um e-mail. 

     

faleconosco@dizquefuiporai.com

Como encarar a viagem de avião com crianças

Vira e mexe recebemos várias dúvidas dos leitores, e esse tema foi uma delas! E para encarar essa tarefa, convidamos a Renata Chiarello, Life Coach, mãe da Betina, de 2 anos, e escritora do blog sobre maternidade MamãeNow.

Um dos meus maiores medos em ter um bebê era adiar os planos de viagem ou realmente parar. Desde que me casei, viajar passou a ser item de despesa mensal na minha casa, fazendo parte do nosso planejamento anual. E por isso, a possibilidade de abandonar esse hábito me assustava muito. Mas um belo dia a família aumentou e assim a Betina, minha pequena, chegou há dois anos pra completar nossas vidas e por incrível que pareça nossas viagens também.

 

Decidimos que não íamos parar de conhecer os lugares e assim começamos a sair por aí com ela, logo quando a pediatra liberou, aos três meses de vida. E a cada viagem, uma nova experiência e a certeza que dá pra desbravar o mundo com um bebê ou uma criança a tiracolo. Fui aprendendo o que sempre fazer, o que talvez fazer, e o que nunca fazer nos nossos passeios com ela. Separei umas dicas que podem ajudar as mamães e papais nas próximas viagens, ou ainda lhes encorajar a começar os planos de viagem e ver um mundo diferente (sim, com uma criança junto tudo é diferente, tudo tem outro significado).

 

     Prontos para embarcar? Então, anotem alguns pitacos!!

 

Primeira e maior dica

Não crie expectativas, nem boas e nem ruins! Crianças são uma caixinha de surpresa. Às vezes reagem super bem ao desconhecido, mas podem dar “defeito” com o trivial. Então, paciência, bom humor e nada de expectativa! Simplesmente, viva a viagem

 

Mala de mão 

Pense nela como seu maior tesouro, do tipo “não sobreviveria sem”. Ela vai te salvar em muitas situações. Na minha não falta: * chupeta; * mamadeira semi-pronta (já com o pó/fórmula); * soro fisiológico; *fralda (pelo menos umas 5 trocas); *pomada antiassaduras; * lenço umedecido; *2 trocas de roupa (pense que seu voo pode atrasar, ser cancelado ou ainda sua mala pode ser extraviada); *1 casaquinho e  1 par de meias (aviões e aeroportos costumam ser muito frios); *brinquedos;  e *documentos

Créditos: Renata Chiarello 

Carrinho de Passeio

Sempre levo o carrinho da Betina conosco, e é bem simples. No aeroporto, nós podemos usá-lo durante toda a espera pelo voo e entregar só na porta da aeronave. Atenção: não é preciso despachar o carrinho junto com a bagagem. Mas é importante avisar sobre ele no momento do check-in, pois ele deve ser etiquetado e pesado, assim como a mala de mão.

 

Check-in

Chegue com antecedência ao aeroporto para fazer o check-in, pois esse deve ser presencial para bebês (ou seja, NÃO dá para adiantar o check-in pela internet). Não esqueça os documentos e/ou autorizações de viagem para menores. Faça tudo com calma!

 

Durante o Voo 

Lembre-se que cada criança é uma criança, mas algumas medidas ajudam a evitar os possíveis “defeitos” dos pequenos. Em geral, os comissários são bem atenciosos com crianças, então não hesite em pedir ajuda se preciso for. Chupeta, mamá ou água na hora da decolagem e pouso minimizam o desconforto nos ouvidinhos. Por orientação da pediatra, vale também usar um sorinho fisiológico no nariz. Brinquedos com pouco volume mas que prendam a atenção por mais tempo são muito úteis. Ex.: Tablet/ipad, massinha de modelar; peças de encaixe, giz de cera, entre outros.

 

Alimentação 

Pode ficar tranquilo/a, é liberado o embarque com mamadeira e papinha para uso durante a viagem! Minha dica é sempre calcular um pouco a mais, pois imprevistos com crianças são quase uma regra. Você também pode solicitar para companhia aérea a alimentação infantil até 48 horas antes da viagem. No caso do transporte de comidas/papinhas congeladas, é preciso consultar a regra específica de cada empresa. Mas no geral, pode ser despachado um isopor ou bolsa térmica, que conta como uma bagagem, com a alimentação congelada, desde que seja utilizado gelo seco. Inclusive, já existem empresas de papinha orgânica que preparam essa embalagem para o momento da viagem.

Créditos: Renata Chiarello 

Assento Pago 

De acordo com a maioria das companhias aéreas, crianças de 1 a 2 anos incompletos, viajando no colo, não pagam passagem nem taxa. Crianças de 2 a 12 anos incompletos possuem descontos em relação as tarifas de adulto. E ainda, pode ser solicitado no momento da compra ou até 48 horas antes do embarque o berço para crianças de até 6 meses. Na minha opinião, o que funciona de verdade é se programar e pagar o assento, mesmo para os bebês nas viagens que duram mais de 3 horas. Não tenham dúvidas, vai ser o dinheiro mais bem empregado da viagem. Eles têm espaço para dormir melhor e pra se acomodarem com mais conforto. E  mamães e papais conseguem até tirar uma soneca e chegar com os braços inteiros.

 

É mais ou menos isso...que delícia falar desse assunto!!!! Acho que dava para escrever mais alguns posts, mas acredito que com essas dicas já dá pra arrumar as malas e partir, aproveitando com a família muitos lugares diferentes.

 

Eu desejo paciência, bom humor, alegria, história pra contar, muitos passeios e que possam dizer que foram por aí muitas vezes. Viagem, experimentem o mundo com seus filhos, pois eles irão agradecer.

 

 

 

Please reload

+Histórias
Please reload

Nossas Categorias
Please reload

inscreva-se na nossa newsletter

Não quer perder nenhuma dica? Então inscreva-se na nossa newsletter!

Ah, nós também odiamos spam.