Blog de viagens escrito por Luísa e Marcelo Colombo. Roteiros de viagem, planejamento e notícias para inspirar e facilitar a viagem dos seus sonhos. 

Caso tenha dúvidas sobre como viajar, queira trabalhar em conjunto, ou simplesmente para dar um Olá, nos mande um e-mail. 

     

faleconosco@dizquefuiporai.com

Por que vou ensinar ao meu filho que ele deve viajar?

14 May 2017

 

Vira e mexe, penso nas coisas que pretendo passar para frente, para os meus filhos, que serão o nosso legado desta vida. E com a chegada de datas emblemáticas, neste caso, o dia das mães, esse assunto vem com mais frequência à minha mente. 

 

O que de mais valioso eu poderia ensinar ao meu filho, o que vai moldar a pessoa que ele vai ser? O que realmente vai influenciar, obviamente de maneira positiva, para que ele seja um ser humano melhor, que faça a diferença no mundo, da maneira dele? E quanto mais eu penso, mais a resposta se reforça: eu vou ensinar meu filho a viajar! 

 

Eu quero ensinar meu filho a viajar, porque eu acredito fielmente que viajar, como um ato contínuo na vida, pode ensinar muitos valores imprescindíveis para a nossa vida. 


As pessoas acham que viajar é sobre lazer, mas na verdade, viajar é sobre educação: aprender sobre o mundo, sobre você e a vida em geral. As lições podem ser infinitas, não importa onde você está no mundo, por isso, eu quero ensinar meu filho que na vida, o aprendizado real está além da sala de aula, está nas oportunidades de vida. 

Viajar tem a possibilidade de te ensinar quem você realmente é, e de que forma você pode potencializar isso para o seu exterior, de ser a pessoa que você realmente pode ser. Não é a toa que vemos tantas histórias comoventes sobre mudanças de vida durante uma viagem virando livros ou filmes. É real! E eu quero que meu filho tenha a chance de se encontrar, de se entender, e de respeitar a pessoa que ele será, e acredito que ser um viajante poderá dar essa chance a ele. 

 

Viajar te ensina a ter respeito pelas culturas e comunidades locais, a aprender a valorizar a diversidade, e a ser mais tolerante. Quero ensinar meus filhos que as pessoas em todo o mundo tem uma opinião diferente sobre as coisas, e que talvez essa seja a melhor qualidade do ser humano. 

 

Acredito na importância da criação dos filhos, nesse caso, dos meus futuros filhos, de forma livre e aberta, e não sei nada mais intenso e gratificante do que colocar o pé na estrada. Viver essa experiência ajuda a reforçar importantes valores como humildade, lidar com a frustração e principalmente, auto-confiança. 

 

Cada vez que fazemos planos de viagem e efetivamente seguimos com eles, é uma evidência de uma promessa cumprida, tudo isso com as adversidades naturais que os planos de viagem podem nos trazer. Saber que você é capaz de realizar a jornada, de tomar uma decisão e fazê-la acontecer na sua frente, e de que a vida e a forma que você a vive, é sua, e somente sua, responsabilidade. 

E como eu sei disso? Porque eu sou filha dessa teoria. Eu fui criada pela minha mãe, que em um dado momento da minha vida, se tornou viajante. Ela me mostrou, desde os 9 anos, quando tive a minha primeira viagem internacional, que o mundo era muito maior do que eu pensava. Que é importante sentirmos empatia da realidade das outras pessoas, principalmente das mais diferentes que você, para realmente ser uma pessoa melhor. E desde então, durante toda a minha adolescência e juventude, ela me levou por aí, de braços dados, e muitas vezes, me empurrando para ir sozinha mesmo, para me aventurar, tomar coragem, sair da minha zona de conforto, realmente viver. E isso tudo, ela me ensinou através das nossas viagens.

 

 

Ela ter me ensinado a ser uma viajante, me ensinou a ter coragem de mudar quando necessário, de sempre reavaliar minhas atitudes, me perguntando onde eu errei e como poderia melhorar, me ensinou a me defender das adversidades, porque somente eu poderia fazer isso, mas também aceitá-las quando eu não pudesse fazer nada. Ela me ensinou a não esmaecer com os problemas, a me adaptar a realidade, e a ser inventiva para encontrar a saída. Ela me ensinou a não ficar parada, e sempre continuar andando, que eu não pertenceria a um lugar, mas que poderia ser parte de todos eles. Ela me ensinou a ser uma pessoa completa, com defeitos e qualidades, e sabendo tirar proveito de cada momento.

 

E hoje, eu te agradeço, mãe, por me ter feito como você, uma viajante de coração, e é por tudo isso, que eu também vou ensinar meu filho a viajar. 

 

 

Please reload

+Histórias
Please reload

Nossas Categorias
Please reload

inscreva-se na nossa newsletter

Não quer perder nenhuma dica? Então inscreva-se na nossa newsletter!

Ah, nós também odiamos spam.